“O povo é quem manda, o governo obedece”: encontro da Teia dos Povos aponta caminhos de resistência na luta pela terra e pelo território

Realizada ente os dias 8 e 10 de junho no município de Aldeias Altas, Maranhão, o oitavo encontrão da Teia de Comunidades e Povos Tradicionais reuniu cerca de 400 lideranças indígenas, quilombolas, ribeirinhas, quebradeiras de coco babaçu, camponesas, pescadoras, sertanejas e outras. O objetivo do encontro é fortalecer a luta desses povos e comunidades ameaçadas pelas estratégias colonialistas de expropriação da terra e da vida de povos ancestrais, seja pelo agronegócio, pela mineração, seja por grandes obras de infraestrutura, como rodovias e estradas de ferro, que via de regra servem como rotas de escoamento de produtos do saque de bens naturais realizado por empresas transnacionais. O encontro aconteceu na comunidade camponesa Gostoso, ameaçada há mais de uma década pelo agronegócio.

Lideranças quilombolas do Território Santa Rosa dos Pretos, em Itapecuru-Mirim, Maranhão, estiveram presentes no encontro e falaram sobre as violações cometidas pelo DNIT em terras de quilombo em função das obras de duplicação da BR 135.

Com o grito de luta e resistência “O povo manda, o governo obedece”, as/os participantes do encontro firmaram sua posição de resistência ao saque histórico de terras e territórios pelos antigos e novos colonizadores.

Com informações da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

teia_maranhao_2018_2
Oitavo encontro da Teia reuniu mais de 400 lideranças que lutam pela terra e pelo território. Foto: Divulgação

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s